Perguntas frequentes sobre lanternas antiexplosão

Temos mais de 40 anos de experiência no mercado e somos especialistas em lanternas antiexplosão no Brasil. Por isso, recebemos muitas dúvidas frequentes sobre esse tipo de iluminação.

Decidimos então juntá-las em uma página especial, para ajudar nossos clientes a conhecer mais sobre a importância desse tipo de equipamento.

 

O que são lanternas antiexplosão?

São lanternas feitas para o uso em áreas classificadas (espaços em que há risco de explosão). Esses locais possuem uma atmosfera explosiva – quando existe, no ar, uma mistura de substâncias inflamáveis com oxigênio.

Com isso, caso haja alguma fonte de ignição no ambiente, ela pode gerar uma explosão. Para evitar esses riscos, devem ser utilizados equipamentos próprios, chamados intrinsecamente seguros (ou, popularmente, “antiexplosão”).

 

Quais são os locais comuns de se ter atmosfera explosiva?

As atmosferas explosivas são geradas pela presença gases, vapores, poeiras inflamáveis ou fibras. Nesse sentido, existem algumas indústrias onde o risco de áreas classificadas é maior. São elas:

Gases e vapores: postos de gasolina, distribuidoras de GLP, comércios, hospitais, estações de tratamento de esgoto, galerias de concessionarias, condomínios;
Poeiras combustíveis: indústria alimentícia, farmacêutica, carvoarias, madeireiras, cervejeiras, moinhos, silos de grãos (como milho, trigo e soja);
Fibras: indústria têxtil e de papel/celulose.

Além disso, outro risco muito grande são os espaços confinados. Caracterizam-se como ambientes não projetados para ocupação humana contínua, tendo meios limitados de entrada e saída. Exemplos: silos, vagões, caminhões-tanque, galerias, caixa d’água, escavações, cisternas, tanques, tubulações, interior de veículos e equipamentos, fornos.

 

Quais são as classificações de risco das áreas classificadas?

As áreas classificadas poder ser divididas em 3 tipos, de acordo com seus riscos:

Zona 0: locais com presença de gás constante, de forma ininterrupta. Espaços confinados.
Zona 1: locais com presença de gás ocasionalmente, em condições normais de operação, gerada por fontes de risco de grau primário.
Zona 2: locais com presença de gás apenas em condições anormais de operação, gerada por fontes de grau secundário.

Todas as nossas lanternas são preparadas para zona 0, podendo então ser usadas em qualquer uma das três. Essa decisão facilita bastante o uso em indústrias que apresentam as 3 zonas ao mesmo tempo, permitindo ao trabalhador se deslocar sem se preocupar em trocar de equipamento.

 

O que faz as lanternas serem intrinsecamente seguras (antiexplosão)?

As lanternas intrinsecamente seguras são projetadas de forma a não serem fonte de ignição (gerar faísca), para não causar explosão nesses espaços. Para isso, suas características principais são:

– Botão de liga e desliga específico para não gerar faísca;
– Corpo resistente a quedas, geralmente feito de plástico. Na Raclite, usamos policarbonato + ABS, materiais muito resistentes. O plástico é necessário pois outros materiais (como o metal) podem gerar faíscas ao cair no chão;
– Válvula de alívio de hidrogênio. Presente nas pilhas alcalinas (usadas nas lanternas), o hidrogênio é uma substância inflamável e com risco de vazar. As lanternas antiexplosão possuem então uma válvula que, em caso de vazamento, a substância é dissipada no ar em baixas concentrações.

 

O que garante que elas sejam realmente seguras/antiexplosão?

Para garantir que as lanternas sejam de fato intrinsecamente seguras, elas devem ter a certificação do INMETRO. Além do certificado físico, em papel, ele também deve estar gravado no corpo da lanterna. Ele deve apresentar o número do certificado + a zona aprovada para uso. Os códigos são:

Zona 0 = Ex ia
Zona 1 = Ex ib
Zona 2 = Ex ic

O certificado também serve como garantia legal, em caso de eventuais acidentes.

 

Qual modelo de lanterna vale mais a pena: recarregável ou a pilha?

Para quem usa esporadicamente (poucas vezes por dia e por pouco tempo), é mais indicado os modelos de pilha alcalina, por terem um custo mais baixo.

Quando se precisa de mais horas de uso por dia, todos os dias, é indicado a bateria recarregável. Apesar de seu investimento inicial mais alto, ele se paga muito rápido nos casos de uso mais frequente. Isso porque, se usasse modelos a pilha, elas deveriam ser trocadas com frequência, gerando um gasto alto.

Um de nossos modelos mais vantajosos nesse sentido é a EX120, que funciona tanto com pilha alcalina comum quanto com pilha recarregável.

 

Veja também os 6 principais erros na compra de lanternas antiexplosão

 

Fontes:

NR33 – Norma Regulamentadora para Espaços Confinados – Ministério de Trabalho e Emprego
ABNT NBR IEC 60079-25 – Atmosferas explosivas – Parte 25: Sistemas elétricos intrinsecamente seguros
ABNT NBR IEC 60079-0 – Atmosferas explosivas – Parte 0: Equipamentos – Requisitos gerais
NETO, Lucio Rodrigues; SOARES, L. F. Instalações Elétricas em Áreas Classificadas Elaboração da Lista de Verificação para Laboratórios em Áreas Classificadas. 2010.