Investigação de Acidentes de Trabalho: O Guia Completo para um Processo Bem-Feito

São muitos os elementos que devem ser coletados para que uma investigação de acidente seja realmente completa.

Independente do tamanho ou de ser aparentemente insignificante, todo elemento necessita ser identificado, fotografado, listado ou marcado de alguma maneira, para que possa ser valioso no “panorama completo” da investigação.

O que se deve fazer em primeiro lugar? Com qual profundidade se deve investigar os detalhes? Neste post reunimos informações sobre vários instrumentos de investigação de fácil aplicação, que podem ser utilizados ou adaptados ao seu próprio plano de investigação de acidentes.

Os procedimentos de investigação adequados ajudarão a:
a) Identificar as provas.
b) Identificar os fatores que contribuíram para o acidente.
c) Fotografar ou fazer um esboço da cena do acidente.
d) Fazer anotações.
e) Entrevistar as testemunhas.

 

1. Identifique as Evidências

As evidências são tudo o que é real, que tem fundamento e que possa ajudar a esclarecer o fato. As provas físicas podem ser vistas, apalpadas e até mesmo postas à prova de nosso paladar. Podem ser grandes ou pequenas, sólidas ou líquidas.

A identificação e a coleta das provas ajudam a determinar a causa fundamental do acidente. As provas podem incluir o seguinte:
a) Posição de equipamentos e ferramentas.
b) Qualidade do ar na área do acidente.
c) Limpeza e manutenção dos equipamentos e ferramentas.
d) Condições do piso, pavimento ou superfície.
e) Registros de manutenção de equipamentos.

A Posição dos Equipamentos e Ferramentas

A posição dos equipamentos e das ferramentas no local do acidente pode fornecer informações sobre a forma com que eles estavam sendo utilizados antes do evento. Assim, é possível descobrir se o uso incorreto de equipamentos foi uma das causas do problema.

A Qualidade do Ar

Se há suspeita de que a qualidade do ar no local de trabalho ou nas adjacências tenha contribuído para causar o acidente, torna-se indispensável sua investigação.

Através desse processo podemos obter informações valiosas a respeito do controle das condições ambientais feito pela Engenharia de Segurança, bem como das concentrações de contaminantes que estejam acima dos Limites de Exposição.

Entre os elementos específicos que devem ser avaliados quando se monitora a qualidade do ar estão:
a) Oxigênio.
b) Monóxido de carbono.
c) Aerodispersoides.
d) Emanações de gases e vapores.

Caso se conclua que as condições atmosféricas tenham contribuído para causar o acidente, é necessário que os controles de engenharia sejam avaliados e que sejam feitos estudos visando melhorar qualidade do ar no local e no ambiente como um todo.

Para reforçar a efetividade de uma investigação, podemos incluir a verificação de:
a) Iluminação.
b) Limitações de visibilidade pela presença de poeira, fumos e névoas.
c) Níveis de ruído excessivos.
d) Motivos que possam atrair a atenção do trabalhador, distraindo-o.

Limpeza e Manutenção dos Equipamentos e Ferramentas

A limpeza deficiente e a manutenção inadequada dos equipamentos e ferramentas também podem contribuir para a causa de acidentes no local de trabalho.

Uma investigação completa analisa até mesmo se resíduos químicos, sujeiras, condições de funcionamento dos equipamentos e a qualidade das ferramentas contribuíram para a ocorrência do acidente.

As Condições do Piso

As condições do piso são outro fator de risco para os perigos de acidente. Por esta razão o piso deve ser mantido sempre seco, sem resíduos ou defeitos (como buracos, objetos salientes etc.).

As superfícies devem ser bastante amplas para permitir o livre movimento de pessoas e equipamentos móveis, como empilhadeiras, por exemplo. A investigação deve incluir indagações como:
a) A superfície de trabalho estava seca e em boas condições?
b) Estava escorregadia, suja de graxa ou óleo?
c) A área de trabalho permite o livre trânsito de equipamentos e pessoas?
d) As ferramentas nos armários estavam adequadamente arrumadas?
e) O piso é revestido de material antiderrapante para evitar quedas?

 

2. Identificar os Fatores que contribuíram para o acidente

Além das evidências físicas, é possível que haja outros fatores que contribuem para um acidente. Entre eles estão as falhas operacionais, violação de normas e procedimentos, estado de ânimo, antecedentes de saúde, uso indevido de medicamentos, bebidas etc.

As falhas operacionais ocorrem durante as atividades de trabalho normais e, com frequência, estão entre as principais causas dos acidentes. Por isso, é necessário verificar a existência de:
a) equipamentos mecânicos sem dispositivos de proteção;
b) dispositivos de proteção defeituosos ou deficientes;
c) andaimes, escadas, ferramentas ou equipamentos elétricos defeituosos/danificados;
d) manuseio de gases, vapores e líquidos sem os devidos cuidados;
e) ventilação ou iluminação inadequada;
f) exposição excessiva ao ruído etc.

Entre as violações de normas e procedimentos consideram-se as operações de equipamentos sem a devida autorização; transporte de materiais cuja quantidade ou peso ultrapasse os limites estabelecidos; circulação em áreas sinalizadas com aviso de proibição; omissão no uso de EPIs., entre outras.

Outro fator importante para a segurança do trabalhador é o estado de ânimo em que ele cumpre suas atividades. Com o humor baixo, caso o trabalhador esteja num mau dia, a probabilidade de que ocorra um acidente aumenta.

Por isso, é importante ficar de olho em alguns sinais de comportamento. São eles: atitudes negativas ou hostis diante dos colegas e até do supervisor; desrespeito às normas de segurança; negligência de instruções; conduta inadequada, etc.

Além disso, também é necessário analisar os antecedentes de saúde do trabalhador envolvido no acidente. A partir disso, muitas vezes é possível esclarecer a causa do ocorrido.

Os registros de lesões, enfermidades e acidentes frequentes podem ajudar a identificar as áreas problemáticas que tenham contribuído para o acidente e que precisam ser tratadas imediatamente.
Ademais, problemas com álcool também são um grande catalisador de acidentes. Os sintomas que podem indicar o uso indevido de bebida alcoólica incluem processos mentais lentos, deficiência de coordenação, contração das pupilas, hálito característico, etc.

 

3. Fotografar ou Fazer um Esboço da Cena do Acidente

A fotografia documenta os elementos do acidente e fornece ao investigador informações precisas do acontecimento. Para preservar as provas, nada relacionado com o acidente deve ser mudado de lugar até que as fotos sejam tiradas.

Caso seja necessário mover algum equipamento para resgatar o trabalhador acidentado, instrua o pessoal do resgate para mover apenas o que for absolutamente necessário.

Também é importante que as imagens que o ajudem a reconstruir a cena total do ocorrido. Para isso, tire uma série de fotos que enfoquem primeiro a área geral do acidente e, depois, detalhes de elementos específicos.

Faça anotações relativas a cada fotografia, pois elas serão de muita utilidade no conjunto final de provas levantadas. Registre através delas momentos de fato relevantes.

Para te ajudar, resumimos as 4 principais dicas para tirar fotos de qualidade:
a) Sempre fotografe a cena antes que qualquer coisa se altere.
b) Fotografe tudo que possa ter contribuído para o fato.
c) Fotografe as testemunhas quando estiverem fornecendo informações.
d) Quando fotografar detalhes de um elemento, ponha junto um objeto conhecido para servir de referência.

 

4. As Anotações

As anotações feitas durante a investigação de um acidente são essenciais para registrar dados relevantes do ocorrido, bem como as narrativas das testemunhas. Com informações de qualidade, você pode elaborar um relatório completo, fiel e conclusivo.

 

5. Entrevistas

Quando entrevistar a vítima ou testemunhas, sua única meta deve ser buscar as razões do acidente, e não identificar culpados ou fazer críticas. Nada de lamentações ou preocupações com custos e prejuízos legais que a ocorrência possa acarretar.

Por fim, separamos também alguns conselhos práticos para que você tenha uma entrevista de sucesso:
a) Faça a entrevista o quanto antes, no momento do acidente se possível;
b) Durante a entrevista observe atentamente a condição física e mental do trabalhador acidentado.
c) Informe que a meta da investigação, através da entrevista, é prevenir um novo acidente;
d) Procure obter informações sobre as ações que antecederam o acidente;
e) Não interrompa a narrativa do trabalhador nem peça muitos detalhes nessa ocasião. Trate de evitar comentários ofensivos ou acusações;
f) Repita para as testemunhas as informações fornecidas pelo trabalhador acidentado, e procure obter dados adicionais e opiniões que enfoquem possíveis causas do acidente;
g) Não sugira negligências, erros ou culpados;
h) Finalize a entrevista com uma atitude positiva agradecendo aos colaboradores pela ajuda prestada

 

Conclusão

Por mais seguro que seja o trabalho, eventualmente acidentes podem ocorrer. Nesses casos, o ideal é realizar uma investigação bem-feita para entender o que houve e evitar ocorrências futuras.
Esperamos que as informações desse post ajudem você e sua empresa em futuras investigações, caso sejam necessárias.

 

 

 

Veja também:

Descubra como escolher o modelo ideal de lanterna para sua indústria