Bate Choco: Dicas para Diminuir os Riscos de Acidente

Bate Choco: Dicas para Diminuir os Riscos de Acidente

Uma das etapas mais importantes da mineração, o bate choco é uma operação arriscada, sendo uma das maiores fontes de acidentes no setor. Por lidar diretamente com rochas instáveis, existe um alto risco de desmoronamento, principalmente quando é realizado de forma manual.

Portanto, é muito importante que os procedimentos de segurança sejam seguidos à risca, garantindo a proteção dos trabalhadores. Neste post, listamos os principais cuidados para se ter um bate choco seguro e sem riscos.

 

Vistoria prévia

O primeiro passo para o bate choco deve ser a vistoria prévia, sendo indicado que uma equipe técnica visite o local.

Nessa visita, devem ser avaliadas as condições do ambiente, anotando os pontos mais críticos para determinar os riscos de acidente. Um dos aspectos mais importantes, por exemplo, seria a ventilação.

Além disso, também é necessário fazer uma prospecção de chocos, localizando os blocos com riscos de queda. Ao encontrar um bloco instável, ele pode ser marcado com tinta reflexiva, por exemplo, para remoção posterior.

 

Cuidados com os equipamentos

Todos os trabalhadores das minas devem saber identificar os chocos. No entanto, sua remoção deve ser feita por profissionais treinados, usando equipamentos apropriados e tendo os cuidados necessários para a tarefa.

Além dos EPIs básicos, como capacetes, as ferramentas de remoção dos chocos também merecem atenção especial. A alavanca usada deve ser maior que a área de queda, e é importante que o trabalhador fique em um ângulo de 45°, posição mais segura para a atividade.

 

Lavagem

Outra medida importante durante o bate choco é a lavagem. Ela é necessária para a redução de poeira, auxiliando assim a visualização dos chocos. É importante lembrar que ela também deve ser feita a 45°.

O primeiro passo é lavar as laterais, teto e piso a 20 metros de distância do local dos blocos. Em seguida, pode se iniciar a retirada gradativa dos chocos, alternando sempre entre molhar e abater, até chegar à face da galeria.

 

Pontos de atenção

Além dos cuidados já mencionados, existem mais alguns pontos de atenção que devem ser lembrados na hora de realizar o bate choco. São eles:

  • Caso note algo anormal, seja na vistoria ou no próprio abatimento, saia do local imediatamente e avise um superior;
  • Lembre-se sempre de verificar se não há ninguém na zona de risco;
  • Nunca vá sozinho. Tanto a lavagem quanto a remoção devem ser feitas por profissionais treinados, que podem se ajudar em caso de acidentes;
  • É importante realizar um rodízio de funções. Os trabalhadores devem alternar entre realizar as atividades e ficar próximo orientando e supervisionando. Assim, reduz-se o esforço e evita-se que ambos fiquem na área de risco;
  • Realize sempre, antes da remoção, o teste de vibro sonoro, golpeando a rocha em 45°. Se produzir um som metálico, a rocha é boa, se produzir um som oco, é uma rocha choca;
  • Em caso de galerias inclinadas, realize a atividade sempre no plano mais superior, evitando o risco de ser atingido;
  • Lembre-se que, em caso de bate choco acima de 1,5 metro, deve ser montado um andaime próprio por um profissional habilitado.

 

Iluminação

Por fim, outro elemento muito importante para a segurança no bate choco é a iluminação. Além de servir como sinalização, ela é essencial para a visibilidade do espaço e dos próprios funcionários. Assim, uma boa iluminação pode reduzir bastante os riscos de acidente.

Para isso, equipamentos profissionais como refletores e sistemas de iluminação são ideais, já que oferecem muito mais luminosidade. Além disso, não dependem do manuseio dos funcionários, podendo ser deixados no chão.

 

Conclusão

O bate choco é uma etapa muito importante da mineração, mas também é bastante arriscada. Entretanto, com os cuidados certos, é possível ter segurança na atividade, garantindo a proteção dos trabalhadores e tendo uma mineração mais segura.

 

Conheça mais sobre a importância da iluminação para a mineração

 

Fontes

NR35 – Ministério do Trabalho e Emprego
DE FARIA, Mario Parreiras; ASSUNÇÃO, Ada Ávila. O abatimento mecanizado de rochas instáveis e segurança no trabalho em mina subterrânea de ouro. Revista Família, Ciclos de Vida e Saúde no Contexto Social, v. 6, p. 542-551, 2018.
Atendimento Raclite
Selecione o tipo de atendimento