Certificado de produto antiexplosão: entenda o significado de cada marcação

Muitas empresas possuem em seu ambiente de trabalho áreas classificadas, que requerem equipamentos com certificado antiexplosão. Entretanto, a mistura de letras e números pode ser confusa para muitas pessoas.

Por isso, preparamos este guia explicando o significado de cada marcação do certificado. Assim, você poderá escolher os equipamentos ideais para sua indústria, com um olhar mais crítico sobre suas características.

 

O que é uma atmosfera explosiva?

De acordo com a ABNT NBR IEC 60079-0:2013, atmosferas explosivas são misturas com ar (em condições atmosféricas) de substâncias inflamáveis ou combustíveis. Essas podem ser na forma de gás, vapor, poeira ou fibras.

Assim, com a presença do oxigênio + substâncias combustíveis, basta uma fonte de ignição para se iniciar uma explosão nesses locais. Essa ignição pode acontecer tanto por meio de faíscas quanto por temperatura, ao atingir o grau para inflamação do combustível.

Equipamentos elétricos são o principal risco nesse sentido, já que podem tanto gerar faíscas elétricas quanto ter o seu corpo aquecido com a energia. Assim, é fundamental que qualquer dispositivo nesses ambientes tenha certificado antiexplosão, como as lanternas, por exemplo.

Entretanto, esse tipo de equipamento se divide em diversas categorias, de acordo com nível de proteção, temperatura e tipo de substância. Por isso, é muito importante analisar os riscos do ambiente de trabalho, para saber qual tipo de proteção é necessário.

 

Áreas Classificadas

São chamadas áreas classificadas os locais em que se detecta a presença (ou risco de desenvolvimento) de atmosfera explosiva. Assim, se dividem em 6 “zonas”, de acordo com os níveis de risco e tipo de sustância. São elas:

Risco por gases e vapores

  • Zona 0: mais perigosa. Atmosfera inflamável contínua ou por longos períodos.
  • Zona 1: atmosfera explosiva ocasional, em condições normais de operação.
  • Zona 2: atmosfera explosiva apenas em condições anormais de operação, por curtos períodos.

Risco por poeiras e fibras

  • Zona 20: mais perigosa. Atmosfera inflamável contínua ou por longos períodos.
  • Zona 21: atmosfera explosiva ocasional, em condições normais de operação.
  • Zona 22: atmosfera explosiva apenas em condições anormais de operação, por curtos períodos.

 

Zona 0 antiexplosão

É importante notar que os equipamentos para zona 0/20 também servem para zonas 1/21 e 2/22; os para zona 1/21 servem para 2/22; já os 2/22 só servem para sua zona. Por isso, a opção mais segura são os zona 0, já que o tipo de atmosfera de trabalho pode mudar.

 

Grupos de Equipamento

Os equipamentos antiexplosão também são divididos em 3 grupos, indicados nos certificados.

  • Grupo I – próprios para minas de carvão. São protegidos de ignição do Grisu (metano) e da poeira de carvão.
  • Grupo II – feitos para utilização em atmosferas explosivas de gás. Se dividem em IIA (propano), IIB (etileno) e IIC (hidrogênio). Os IIB servem para IIA, e os IIC servem para IIB e IIA.
  • Grupo III – para atmosferas explosivas de poeira. Também se dividem em IIIA (fibras combustíveis), IIIB (poeiras não condutoras) e IIIC (poeiras condutoras), com os IIIB servindo para IIIA, e os IIIC para IIIB e IIIA.

 

Níveis de Proteção de Equipamento (EPL)

Outra marcação no certificado antiexplosão diz respeito ao nível de proteção do equipamento. Essa categoria é determinada a partir da probabilidade do dispositivo se tornar uma fonte de ignição. Também se dividem de acordo com os grupos da marcação anterior. São eles:

Grupo I (minas)

  • Ma – nível de proteção muito alto
  • Mb – nível de proteção alto

Grupo II (gases)

  • Ga – nível de proteção muito alto (zona 0, 1 e 2)
  • Gb – nível de proteção alto (zona 1 e 2)
  • Gc – nível de proteção moderado (zona 2)

Grupo III (poeiras e fibras)

  • Da – nível de proteção muito alto (zona 20, 21 e 22)
  • Db – nível de proteção alto (zona 21 e 22)
  • Dc – nível de proteção moderado (zona 22)

Para o certificado ATEX, essa informação também pode aparecer como:

  • M1 = Ma
  • M2 = Mb
  • 1G = Ga
  • 2G = Gb
  • 3G = Gc
  • 1D = Da
  • 2D = Db
  • 3D = Dc

 

Classes de Temperatura

Mais uma das marcações no certificado antiexplosão é a de temperatura, que indica a temperatura máxima que o equipamento pode atingir (em condições extremas). São classificadas da seguinte forma:

  • T1 = 450 °C
  • T2 = 300 °C
  • T3 = 200 °C
  • T4 = 135 °C
  • T5 = 100 °C
  • T6 = 85 °C

Quanto maior o número mais classes ele abrange. Ou seja, o T1 serve apenas para T1, enquanto o T6 também serve para T5/4/3/2 e 1. Assim, é necessário fazer uma análise dos gases encontrados na atmosfera explosiva, determinando as temperaturas apropriadas.

 

Modo de proteção

A última marcação no certificado antiexplosão diz respeito ao modo de proteção do produto. Ou seja, qual a característica desse equipamento que impede que ele seja fonte de ignição.

São muitos os modos de proteção possíveis. Por isso, preparamos uma tabela para facilitar sua compreensão sobre cada um:

Símbolo Proteção Combustível Zonas Significado
Ex d À prova de explosão Gás 1 e 2 As partes que podem causar ignição são protegidas por um invólucro. Assim, a explosão fica contida dentro do corpo do aparelho
Ex e Segurança aumentada Produto incapaz de gerar ignição em condições normais de operação, tanto por centelha quanto arco ou temperatura
Ex nC Não centelhante 2 Produto incapaz de gerar ignição em condições normais de operação, por algum método específico (não produz faísca, não permite entrada de gás etc.)
Ex nA Não acendível
Ex nR Respiração restrita
Ex ia Segurança intrínseca Gás ou Poeira

0, 1 e 2

20, 21 e 22

Produto incapaz de gerar energia suficiente para provocar ignição, em operação normal
Ex ib

1 e 2

21 e 22

Ex ic

2

22

Ex q Imerso em areia Gás 1 e 2 As partes que podem causar ignição estão imersas em areia, que atua como isolante
Ex o Imerso em óleo As partes que podem causar ignição estão imersas em óleo, que atua como isolante
Ex ma Encapsulamento Gás ou Poeira 0, 1 e 2

20, 21 e 22

As partes que podem causar ignição estão imersas em resina isolante, de forma encapsulada
Ex mb

1 e 2

21 e 22

Ex mc 2
Ex px Pressurizado Gás 1 e 2 Produto com pressão interna positiva, impedindo a entrada da mistura explosiva
Ex py
Ex pv
Ex pz 2
Ex ta Proteção por invólucro Poeira 20, 21 e 22 Produto protegido contra entrada de poeira, incapaz de gerar temperatura alta o suficiente para ignição
Ex tb 21 e 22
Ex tc 22
Ex s Equipamento especial Gás ou Poeira 0, 1 e 2

20, 21 e 22

Produto com método de prevenção que ainda não foi totalmente definido em Norma

 

Grau de proteção IP

Por fim, outro certificado de proteção importante é o grau IP, que diz respeito ao nível de resistência à água e poeira do produto. Apesar de não ser exclusivo de equipamentos antiexplosão, também é importante conhecê-lo.

O grau IP é composto de dois números, que indicam o nível de proteção a poeira e água, respectivamente. Quando há um X no lugar de um número (geralmente do primeiro), quer dizer que não houve testes para aquela proteção específica. São eles:

Primeiro dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Proteção contra objetos sólidos com 50 mm de diâmetro ou mais
  • 2 – Proteção contra objetos sólidos com 12,5 mm de diâmetro ou mais
  • 3 – Proteção contra objetos sólidos com 2,5 mm de diâmetro ou mais
  • 4 – Proteção contra objetos sólidos com 1,0 mm de diâmetro ou mais
  • 5 – Proteção contra poeira
  • 6 – À prova de poeira

Segundo dígito:

  • 0 – Não protegido
  • 1 – Protegido contra gotas que caiam na vertical
  • 2 – Protegido contra gotas que caiam na vertical com corpo inclinado a até 15°
  • 3 – Protegido contra borrifo de água
  • 4 – Protegido contra jorro de água
  • 5 – Protegido contra jatos de água
  • 6 – Protegido contra jatos potentes de água
  • 7 – Protegido contra imersão temporária em água de até 1 metro por 30minutos
  • 8 – Protegido contra a imersão contínua em água
  • 9 – Protegido contra a imersão (durante 1 m) e resistente à pressão
  • 9K – Protegido contra água proveniente de jatos de vapor e alta pressão

 

Conclusão

Verificar o certificado antiexplosão é uma das etapas mais importantes na compra de equipamentos elétricos para indústria. Com esse guia, você já é capaz de entender os detalhes técnicos e fazer a escolha mais adequada para as necessidades do seu trabalho.

 

Conheça também as lanternas antiexplosão da Raclite

 

Fontes

ABNT NBR IEC 60079-0:2013 – Atmosferas explosivas
IECEX – International Electrotechnical Commission System for Certification to Standards Relating to Equipment for Use in Explosive Atmospheres
ABNT NBR IEC 60529:2017 – Graus de proteção providos por invólucros (Códigos IP)