Lanternas EX - Iluminacao Anti Explosao

Lanterna antiexplosão: 6 principais erros na hora da compra

Um ambiente bem iluminado é essencial para o trabalho, melhorando a produtividade e a segurança dos funcionários. Para isso, nas indústrias, as lanternas são o equipamento de iluminação mais popular.

No entanto, muitas indústrias possuem áreas com atmosferas explosivas. Por isso, necessitam de equipamento apropriado para evitar acidentes.

Os equipamentos de iluminação comuns são os mais perigosos nesse sentido, pois podem gerar faíscas apenas por serem ligados. Nesse tipo de atmosfera, isso já é suficiente para iniciar uma explosão.

Dessa forma, é fundamental que as lanternas para esses ambientes sejam “antiexplosão”. Porém, por ser uma categoria bastante técnica, muitas pessoas não conhecem detalhes importantes para se atentar na hora da compra.

Assim, separamos 6 erros comuns na hora de comprar uma lanterna antiexplosão, para que você já saiba como evitá-los:

 

1. Não conhecer os riscos do ambiente

Zona 0 antiexplosão

Um dos primeiros passos ao trabalhar em ambientes com risco de explosão é fazer uma análise de riscos. Assim, se conhece os potenciais perigos do local, sendo possível se preparar de forma adequada.

Nesse processo, uma etapa indispensável para locais com atmosfera explosiva é identificar o tipo de zona. As zonas se dividem em 0, 1 e 2 (risco por gases e vapores) e 20, 21 e 22 (risco por poeiras e fibras).

  • Zona 0: mais perigosa. Atmosfera inflamável contínua ou por longos períodos.
  • Zona 1: atmosfera explosiva ocasional, em condições normais de operação.
  • Zona 2: atmosfera explosiva apenas em condições anormais de operação, por curtos períodos.

Já os riscos por poeira e fibras seguem o mesmo tipo de classificação. Porém, no lugar de gases, a atmosfera explosiva se dá por nuvens de poeira (substâncias em estado físico).

 

2. Adquirir lanterna antiexplosão para zona inadequada

Com as zonas devidamente identificadas, os equipamentos devem ser escolhidos de acordo os riscos do ambiente. No mercado, você encontra produtos para zona 0, 1 e 2.

Mas é importante saber que os equipamentos zona 0 servem também para as zonas 1 e 2. Já os zona 1 servem também para zona 2, enquanto os últimos só podem ser usados em sua própria zona.

Geralmente o próprio fabricante informa o tipo de zona para que o produto é preparado. Porém, você também pode verificar essa informação pela marcação do equipamento. Procure pelo seguinte:

  • 1G ou Ga – zona 0
  • 2G ou Gb – zona 1
  • 3G ou Gc – zona 2

Para atmosferas de poeira, é mais difícil de achar equipamentos com a certificação específica (para zona 20, 21 ou 22).

No entanto, equipamentos com a certificação IIB ou IIC já são suficientes para zonas 20 (e 21/22). Isso porque essa marcação diz respeito a temperatura, que é o mesmo fator de risco das atmosferas de poeira.

Além disso, produtos com marcação ia (intrinsecamente seguros) também costumam ser, no geral, próprios para zona 0.

Nossa recomendação é sempre preferir por equipamentos próprios para zona 0. Como são utilizáveis em qualquer zona, você evita preocupações futuras caso a atmosfera do local mude ou seja necessário entrar em outros espaços.

 

3. Não verificar os certificados das lanterna antiexplosão

Riscos de explosão são muito graves, podendo colocar em risco a saúde – e até a vida – dos trabalhadores. Por isso, todo cuidado é pouco ao escolher os equipamentos de trabalho. Exija sempre lanternas com certificado antiexplosão, para garantir sua segurança.

A mistura de letras e números pode ser confusa, mas foque primeiramente em identificar a zona correta. No certificado ATEX (europeu) a zona 0 é 1G, zona 1= 2G e zona 2=3G. Já no certificado Inmetro, nacional, a ordem é Ga, Gb e Gc para zonas 0, 1 e 2, respectivamente.

As outras letras referem-se à informações mais técnicas, como nível de temperatura e tipo de proteção do produto. Esses são detalhes mais específicos de acordo com suas necessidades, mas de forma geral o mais importante é o tipo de zona, que abrange todos os critérios.

Além disso, é muito importante que a lanterna tenha seus certificados marcados em seu corpo, ou pelo menos adesivado. Essa é mais uma garantia de que o certificado é real e o produto seguro. E claro, solicite sempre a cópia do Certificado para confirmação.

 

4. Escolher equipamento de tamanho inadequado

Outro erro bastante comum na hora de escolher sua lanterna antiexplosão é optar por tamanhos que não são ideais.

Existem muitos modelos disponíveis, que se diferenciam principalmente em tamanho e potência. Portanto, cabe a você escolher o melhor para suas necessidades.

Se vai entrar em espaços confinados, por exemplo, é melhor optar por uma lanterna de mão de pequeno porte, ou uma de cabeça. Já para áreas mais amplas, as lanternas de grande porte e os sistemas de iluminação são boas opções.

 

5. Adquirir o modelo errado para suas necessidades

Além disso, um ponto muito importante é o tipo de lanterna. Aqui, cabe novamente pensar no tipo de trabalho a realizar para escolher o mais adequado. Suas diferenças principais são:

  • Lanterna de cabeça: ideal para trabalhos em que é necessário o uso das mãos, já que não precisam ser seguradas.
  • Lanterna de mão: disponíveis nos mais diversos tamanhos e potências, tem como principal vantagem uma iluminação mais focada e “controlável”.
  • Sistema de iluminação: opção de grande porte, são ideais para iluminar grandes áreas, por terem luz mais potente e ampla.

 

6. Comprar lanterna antiexplosão com material de baixa qualidade

Por fim, um detalhe muito importante e que muitos não se atentam é o material de fabricação da lanterna. Modelos mais baratos, por exemplo, podem ter o preço reduzido justamente por serem fabricados em material inferior.

Além disso, lanternas com corpo metálico também devem ser evitadas. Em caso de quedas por exemplo, ela pode gerar faíscas dependendo do tipo de metal utilizado.

Prefira modelos em plástico mais resistente, como ABS, policarbonato e polipropileno.

 

Conclusão

A escolha de lanternas antiexplosão pode ser complicada. Por envolver conhecimentos muito técnicos, muitas pessoas se confundem e acabam optando por um modelo que não é adequado para suas necessidades.

Entretanto, é fundamental entender bem todas as características desse tipo de equipamento. Afinal, riscos de explosão são muito graves, e é preciso se atentar a cada detalhe para garantir a segurança do trabalhador.

Esperamos que esse guia tenha te ajudado a entender melhor como escolher lanternas antiexplosão de acordo com suas necessidades.

 

Aprenda o significado de cada símbolo dos certificados antiexplosão

 

Fontes

NR33 – Norma Regulamentadora para Espaços Confinados – Ministério de Trabalho e Emprego
ABNT NBR IEC 60079-25 – Atmosferas explosivas – Parte 25: Sistemas elétricos intrinsecamente seguros
ABNT NBR IEC 60079-0 – Atmosferas explosivas – Parte 0: Equipamentos – Requisitos gerais
NETO, Lucio Rodrigues; SOARES, L. F. Instalações Elétricas em Áreas Classificadas Elaboração da Lista de Verificação para Laboratórios em Áreas Classificadas. 2010.